INTRODUÇÃO E BASE BÍBLICA PARA AS CÉLULAS – SPG

INTRODUÇÃO E BASE BÍBLICA PARA AS CÉLULAS

Existem vários nomes que podem ser dados a eles, mas os “os pequenos grupos nos lares” (que nós vamos chamar de Células) estão conquistando o mundo! Sabemos que a Bíblia diz que a igreja primitiva congregava em reuniões grandes e nos lares  ( Atos 2. 46). Esta prática aos poucos foi sendo sufocada, mas da década de 1980 para cá temos visto um renovado interesse mundial pelas Células.

Uma das primeiras igrejas que chamou atenção mundial para as Células foi a Igreja do Evangelho Pleno de Yoido, pastoreada por David Yonggi Cho. Esta igreja atualmente tem 700.000 membros e é a maior do mundo. Ralph Neighbor é outro especialista em Células e os seus ensinos e materiais escritos têm abençoado muitos pastores e igrejas ao redor do  mundo. Ultimamente muitas igrejas estão implantando um método que se chama de G 12 (grupos de discipulado de 12 pessoas) que tem tido um sucesso impressionante na igreja evangélica “Missão Carismática Internacional” de Bogotá, Colômbia.

Um modelo ainda mais recente que tem surgido é o ADM ( Apostolic Discipleship Method), que em português é MDA (Modelo de Discipulado Apostólico). Este modelo combina as Células com um sistema de micro-células, onde todos os membros da igreja são cuidados e treinados um a um.

Com tantas opções diferentes, muitos pastores e líderes evangélicos têm ficado confusos. Eles crêem que talvez devem adotar algum sistema de Célula na sua igreja local, mas estão duvidosos de exatamente como fazer isso. Por outro lado, existem aqueles pastores que têm implantado as Células nas suas igrejas, mas os resultados estão muito aquém daquilo que eles esperavam. Será que as Células é algo que era só para a igreja primitiva e não necessariamente para os dias de hoje? Existem muitos modismos no meio evangélico, será que este interesse nas Células não é só mais uma onda que depois vai passar? Se o princípio das Células é Bíblico, então qual é a forma Bíblica de praticá-lo? Estas e muitas outras questões são abordadas nesta apostila, mas primeiramente vamos mencionar algumas verdades básicas:

  • Modelos de igrejas que cresceram em qualidade e quantidade são bons, mas não são necessariamente transferíveis.
  • Princípios Bíblicos de crescimento de qualidade e quantidade – estes sim -  são transferíveis e funcionarão em qualquer igreja  local no contexto de qualquer cultura.
  • Devemos valorizar todos os bons modelos de igrejas, porém, temos que estudar e praticar os princípios Bíblicos que estas igrejas usaram. Além disso, muitas vezes Deus nos guiará a pegarmos boas idéias de outras igrejas na implantação dos princípios Bíblicos. Por isso, é extremamente importante sermos humildes e sempre abertos a aprender com todo o corpo de Cristo.
  • O Espírito Santo é criativo e Ele vai ajudar você a ser criativo ao aplicar os princípios Bíblicos na igreja local que você pastoreia.
  • A igreja local que você pastoreia deve ser diferente de qualquer outra igreja local no planeta.
  • Na medida que você, pastor, sinceramente busca a ajuda do Sumo – Pastor Jesus, Ele vai lhe mostrar o plano específico que Ele tem para sua igreja local.

Antes de falarmos sobre a Biblicidade das Células e os princípios Bíblicos de como praticá-las, quero abordar a base Bíblica para o crescimento da igreja.

Queremos que a igreja cresça em qualidade ou em quantidade? Todos dois!! A qualidade gera a quantidade. Quando algum pastor diz que ele não está interessado em quantidade – só qualidade, mas, se sua igreja não crescer em quantidade, é duvidoso que ele tenha tanta qualidade assim. Quantidade é possível sem muita qualidade, mas até essa quantidade vai ser comprometida mais cedo ou mais tarde se não tiver qualidade. É óbvio, então, que a qualidade é a mais importante; mas sendo a qualidade verdadeira vai sempre produzir muita quantidade. Temos que abrir os nossos corações e nossas mentes para pensarmos tambémem quantidade. Arazão primordial, porém, que temos que pensar em muitos números é por causa do coração de Deus.

A Palavra de Deus diz que Ele não quer “que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento”(II Pedro 3.9); que o desejo de Deus é “que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”( I Timóteo 2. 4). Deus está muito interessado em números, porque cada número representa uma pessoa que vai viver eternamente no céu ou no inferno. Isso é extremamente sério. Por isso, Ele faz questão de registrar números e mencionar o crescimento em quantidade da igreja primitiva na Sua Palavra: Atos 2. 41; 2. 47; 4.4; 5.14; 6.1; 9.31.

Já que é Bíblico crescermos, como podemos ver nossas igrejas crescerem em qualidade e quantidade? Em outras palavras, como podemos atrair mais pessoas a um verdadeiro compromisso com Jesus e com a igreja local, e como poderemos discipular, pastorear e treinar eficientemente todos esses novos cristãos?

A solução da Palavra de Deus se encontra sintetizado de uma forma muito preciosa em Efésios 4. 11-12. Aprendemos neste texto que os pastores e líderes cristãos devem concentrar em aperfeiçoar os santos para que eles (os santos) efetuem o ministério. Em outras palavras, o papel do pastor é ensinar, treinar, equipar os cristãos e permitir que o ministério esteja nas mãos deles!! O papel do pastor não é gerar novas ovelhas. O papel do pastor é cuidar bem das ovelhas para que elas sejam sadias. Uma ovelha sadia sempre vai dar cria! E depois de nascer o cordeirinho,  quem cuida dele? O pastor? Não!  A ovelha mãe que gerou o cordeirinho tem a responsabilidade de cuidar do cordeirinho dando-lhe leite e ensinando-lhe os primeiros passos. O pastor tem que colocar o ministério na mão do povo.

O maligno infelizmente convenceu uma grande parte da Igreja do Senhor Jesus de não colocar o ministério na mão do povo. O clericalismo tomou conta. O povo de Deus, o Corpo Vivo do Senhor Jesus, se tornou espectador enquanto alguns poucos “profissionais de púlpito” faziam – ou tentavam fazer – o trabalho que era para a Igreja toda fazer: “Discípulos de todas as nações”! Aonde estava aquela poderosa “Igreja do Caminho” que vemos em Atos que pelo poder do Espírito Santo sacudia as nações? Onde estava aquela Igreja que reunia em grandes reuniões mas também diariamente nas casas, onde cada cristão era uma tocha de fogo, pregando e fazendo discípulos? É triste admitir, mais o Maligno convenceu uma grande parte da Igreja para ficar isolada em “templos”, enquanto ele roubou a idéia de Deus. Como que o diabo roubou a idéia de Deus? O diabo roubou a idéia de  Deus colocando seu “ministério diabólico” na mão do povo – espalhando ao redor do mundo através dos “seus leigos” o espiritismo, nova era, terreiros de macumba e o misticismoem geral. Umterreiro de macumba é um perfeito exemplo de uma “Célula” do Maligno.

A igreja primitiva reunia nos lares! Sim, ela reunia no templo em Jerusalém, ou em sinagogas emprestadas dos judeus, ou em escolas alugadas – “A Grande Congregação”;  mas ela sempre também reunia nas casas!!

Veja  só tantos exemplos Bíblicos:

 

“… de casa em casa , …” Atos 2. 46

“… a igreja que se reúne na casa …” Romanos 16. 5

“… os da casa de Aristóbulo …” Romanos 16. 10

“… os da casa de Narciso, …” Romanos 16. 11

“… e aos irmãos que se reúnem com eles.” Romanos 16.14

“… os santos que se reúnem com eles.” Romanos 16. 15

“… , a igreja que está na casa deles.” I Coríntios 16. 19

“… a igreja que ela hospeda em sua casa.” Colossenses 4. 15

“… e à igreja que está em tua casa:” Filemom v. 2

A Bíblia ensina que os Apóstolos organizavam as igrejas em grande reuniões com as multidões (a grande congregação) e nos lares dos irmãos (a pequena congregação). Cremos, então, que é espiritualmente importante e sadio todo cristão congregar fielmente na grande congregação (Culto de Celebração) e na pequena congregação (Célula). É interessante notar que psicólogos e sociólogos hoje em dia   afirmam que é importante para o ser humano estar envolvido com esses dois tipos de grupos: 1) Algo grande que envolve muitas pessoas e faz com que ele se sinta parte de um projeto maior com significância.  2) Um grupo pequeno de pessoas com quem ele poderá se relacionar e não sentir-se um mero número. Os psicólogos e sociólogos simplesmente descobriram algo que Deus já sabia há muito tempo. Aliás, foi Ele quem nos criou com essa dupla necessidade. Por isso, Ele também determinou que Sua Igreja tivesse o Culto de Celebração e a Célula. Aí Ele disse: “Não deixai-vos  de congregar”( Hb 10. 25) !!

Um comentário sobre “INTRODUÇÃO E BASE BÍBLICA PARA AS CÉLULAS – SPG

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s